Destinos de Portugal
CONTACTOS
O MEU ROTEIRO
INICIAR SESSÃO
Parque da Liberdade
Parques Nacionais
Anunciada a aquisição do Parque Valenças em 1936 pela Comissão de Turismo de Sintra, com o propósito de dotar Sintra de um Parque Público, ela viria a concretizar-se no ano seguinte (1937), tendo sido entusiasticamente saudada pelos populares.

A inauguração, essa, teve lugar no início de Julho desse ano, no âmbito de uma cerimónia com pompa e circunstância, tendo contado com a presença do então presidente da República, General Carmona e sido secundada pelo júbilo popular.

Objecto de melhoramentos vários e de um processo de contínuo embelezamento, voltaria a ser notícia em Agosto de 1939, para destacar o campo de ténis e a inauguração do “campo de patinagem”. Não sendo dos maiores, com uma superfície de 450m2, ou seja o mínimo exigível para desafios de hóquei em patins, anunciava-se para breve a realização de jogos com equipas de nomeada.

A alegria e o prazer daqueles que durante a tarde deram azo aos treinos de patinagem terá sido estonteante.

E de facto até há 12 anos atrás o Hockey Clube de Sintra lá treinou, lá jogou, lá enfrentou equipas rivais, lá construiu os méritos que foi granjeando.

Em Maio de 2006, foi o local escolhido para os jogos comemorativos do seu 60º aniversário, entre veteranos e entre infantis, com a evocação dos momentos vividos no ringue do Parque.
Curiosamente a patinagem livre com patins em linha – tão do agrado dos mais novos - regressou ao Parque no dia seguinte, restaurando uma prática que o tempo interrompeu e lá se manterá até final de Setembro, abrindo tal possibilidade aos sábados, domingos e feriados.

Anfitrião ainda de iniciativas várias, são sempre novas as razões  que incrementam a visita a um espaço de eleição.
Acredita-se que um novo brilho se empresta ao Parque da Liberdade, e que sejam mais, que sejam muitos, a fruir daquilo que nele se oferece.

E aquilo que nele se oferece é também um enquadramento invejável, com um coberto vegetal natural e com uma estética, uma paisagem e um conjunto de interacções que permitem um variado número de nichos ecológicos incrementando a biodiversidade.

Quando se passeia pelo Parque da Liberdade, tem-se mais de 4 centenas de árvores, de 60 espécies diferentes, por companhia. Elas crescem, florescem, mudam de fisionomia... na esperança, também, de que as pessoas notem as diferenças.


PARQUE DA LIBERDADE
O coberto vegetal do Parque da Liberdade é caracterizado por um desenvolvimento essencialmente natural, com uma estética, uma paisagem e um conjunto de interacções que permitem um variado número de nichos ecológicos incrementando a biodiversidade.
É de 410 a população residente no Parque, distribuídas por mais de 60 espécies diferentes.

Essências arbóreas do Parque da Liberdade e número total de exemplares por espécie:
• Abeto-grego (Abies cephalonica) – 2
• Bôrdo (Acer campestre) – 4
• Ácer (Acer pseudoplatanus) – 14
• Castanheiro-da-Índia (Aesculus hipocastanum) – 4
• Castanheiro-vermelho-da-Índia (Aesculus x carnea) – 1
• Castanheiro-vermelho-da-Índia (Afrocarpus mannii) –1
• Araucaria-da-queenslândia (Araucaria bidwillii) – 3
• Araucaria-de-norfolk (Araucaria heterophylla) –3
• Braquiquitom (Brachychiton populneum) –1
• Castanheiro (Castanea sativa) – 4
• Casuarina ( Casuarina equisetifolia) –5
• Cedro-do-himalaia (Cedrus deodara) – 1
• Olaia (Cercis siliquastrum) –3
• Camecipáris-do-oregon (Chamaecyparis lawsoniana) –19
• Camecipáris obtusa (Chamaecyparis hinoqui) – 1
• Camecipáris (Chamaecyparis sp. cf pisifera ) – 3
• Camecipáris (Cinnamomum sp., cf zeylanicum) – 1
• Criptoméria (Crytomeria japonica) – 2
• Cipreste-do-buçaco (Cupressus lusitanica) – 9
• Cipreste-da-califórnia (Cupressus macrocarpa) – 8
• Oliveira-do-paraíso


Data de 1936 o anúncio da aquisição do Parque Valenças pela Comissão de Turismo de Sintra, com o propósito de dotar Sintra de um Parque Público, tendo o facto merecido uma manifestação de regozijo, com lugar a 24 de Junho e dirigida pelos populares à Câmara Municipal e à Comissão de Iniciativa e Turismo, conforme se vê noticiado pelo Jornal de Sintra, na sua edição de 5 de Julho desse ano.

Classificado como um grande melhoramento, preencheria aquilo que se considerava uma lacuna, porquanto: “(...) não estava certo que, sendo esta vila conhecida pela terra dos jardins e das flores, não tivessem os seus habitantes e os turistas  um Parque Público, onde pudessem passear ou descansar das suas fadigas (...)”.

A assinatura da escritura de aquisição em 1937, permitiria que os portões se vissem franqueados no dia de Natal, o que suscitou grande ajuntamento de pessoas na Praça da República, que assistiram à queima de “(...) algumas centenas de foguetes estrepitosos e à actuação da Banda da União Sintrense (...)”.

Mas a inauguração do Parque teve lugar no início de Julho desse ano, tendo contado com a presença do então Presidente da República, General Carmona, no âmbito de uma cerimónia com pompa e circunstância e secundada pelo júbilo popular.

Em Agosto de 1939 voltaria a ser notícia, para saudar os melhoramentos entretanto introduzidos, com um especial destaque a caber ao campo de ténis e ao então inaugurado campo de patinagem. Não sendo dos maiores, com uma superfície de 450m2, ou seja o mínimo exigível para desafios de hóquei em patins, anunciava-se para breve a realização de jogos com equipas de nomeada.
A alegria e o prazer daqueles que durante a tarde deram azo aos treinos de patinagem terá sido estonteante.

Localização

Avaliação

Pontos: 0 / Votos: 0
Total: 0/5

Comentários

© Destinos de Portugal - Todos os direitos reservados